Papo Histórico

Aliança Holandesa, contada de um jeito diferente

248542473154989027dBFiFppZc

Homem! Qual o problema em se pedir ajuda a quem sabe mais do que a gente? É justamente nas dificuldades que aprendemos a reconhecer que falhas existem e devem ser superadas, e você Portugal, aprendeu a lição de casa direitinho.
A gente sabe  que a experiência é uma ótima aliada na hora de se fazer negócios, sendo assim, eis que a experiência dos holandeses (flamengos)  bem serviram para Portugal na hora do aperto.
Portugal não tinha dinheiro para investir na colonização, cá nesse nosso Brasil e também não sabia como solucionar os problemas de transportes e fretes da sua Metrópole . Este cenário não só revela que a indústria naval e marinha estava em declínio como ainda, delata que a estrutura mercantil não permitia a entrada de açúcar brasileiro nos mercados europeus.  Cruz credo! Nem pensar em ficar sem o doce do doce! Imaginas nossas manhãs sem a pitada da alegria que o açúcar nos oferece? Quão obscuras seriam não?! Ah… Está bem, o açúcar não é tudo isso, aliás, tomamos café sem açúcar, chá sem açúcar e afins, mais para época esse produto era importante.
Pois é, nesse contexto de treva, eis que surgem os caras! Os super-heróis do momento, os reis do baile, nada mais nada menos que os holandeses! Os holandeses, já tinham experiência em todas estas problemáticas de Portugal e por isso, fazem uma aliança com os Portugueses.
Os holandeses já distribuíam o açúcar que os próprios portugueses produziam nas Ilhas do Atlântico desde o século XV. Daí,  juntou se o útil ao agradável! Como a Capital holandesa tinha interesse na comercialização do açúcar, não deu outra, abraçaram a causa! Forneceram um empréstimo para o investimento inicial da colonização, cuidaram da distribuição do açúcar, e ainda não deixaram para menos, resolveram o problema básico da colonização ( a ampliação do mercado consumidor)
Eh Portugal, cêis deram sorte heim!? Quem ajuda amigo é  ou um dia, concorrentes se tornam! Só que você né Portugal, sempre arruma uma maneira de se sair bem na história…
No fim, como as duas partes queriam lucrar e compensar os investimentos que foram aplicados na montagem de uma área produtora açucareira no Brasil, os comerciantes portugueses e holandeses, montaram um super-esquema.  Gente, para época esse esquema foi bom, apesar de que … opiniões pessoais ficam em segundo plano agora. Voltando após uma viajadinha básica. Tcharã! Apresentamos o Plantation, produção especializada!
Plantation era uma forma de organizar a produção de açúcar a fim de garantir máxima rentabilidade. O esquema tinha como base a grande propriedade (latifúndio), a monocultura que visava apenas o cultivo da cana de açúcar e o trabalho escravo.  Tudo isso para produzir o açúcar aqui no Brasil em larga escala e exportar para os mercados europeus.
A renda obtida por esse esquema plantation era dividida, a maior parte ia para o exterior e a menor, ficava aqui mesmo no Brasil em mãos dos senhores de engenho.
Portugal! Portugal! Mais esperto que tu não houve igual.  Historiadores que me corrijam se falei demais. 
Anúncios

O que achou? Se gostou, compartilha.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s